FADIGA CRÔNICA: UMA QUEIXA MUITO COMUM

Saúde

 O cansaço, a falta de energia para realizar alguma atividade, o desânimo, vem se tornando uma queixa muito comum nos consultórios médicos, uma queixa que antes atingia idosos e portadores de doenças crônicas, agora atinge a maior parte da população, é a Fadiga crônica.

A fadiga crônica muitas vezes começa de repente, com sintomas gripais ou de doenças mais comuns. Mas ao contrário da gripe, pode durar uma vida inteira. Além da sensação de fadiga, outros sintomas estão relacionados à doença e merecem atenção, tais como: – Dor nas articulações ao se mover de um local para o outro; – Dores musculares ao se exercitar ou até mesmo em uma simples caminhada; – Perda de memória frequentemente; – Falta de concentração; – Aumento nas infl amações de garganta; – Dores de cabeça constantes; – Arrepios e suor durante a noite; – Perda de sono; – Distúrbios digestivos como síndrome do intestino irritável.

Além dos sintomas citados acima, quem sofre de síndrome de fadiga crônica também percebe alterações signifi cativas no organismo como irritabilidade, alterações constantes no humor, ataques de pânicos, ansiedade e depressão.

Muitas vezes diagnosticar a causa de fadiga em alguns pacientes não é uma tarefa fácil, pois existem inúmeras causas e não é diagnosticado através de exames laboratoriais. Porém uma das causas de fadiga em pacientes vem chamando a atenção, a Disfunção Mitocondrial.

As mitocôndrias são responsáveis pela geração de mais de 90% da energia necessária para o corpo estimular o crescimento e manter a vida. Quanto mais velho fi camos menos mitocôndrias e menos produção de energia (ATP). A perda de função na mitocôndria, organela chave responsável pela produção de energia celular, pode resultar em excesso de fadiga.
Por isso, uma revisão realizada por Filler et al. analisou estudos que investigaram a associação de marcadores de disfunção mitocondrial com fadiga e propôs possíveis direções de pesquisa para melhorar a compreensão do papel da disfunção mitocondrial na fadiga.

Em uma revisão sobre doença mitocondrial, a carnitina é o marcador de função mitocondrial mais estudado; a enzima mais estudada é a Coenzima Q10.  Pacientes com disfunção mitocondrial que receberam L-carnitina diariamente por dois meses, tiveram um aumento em seu limite de tolerância à dor e consumo de oxigênio a uma taxa constante de exercício e mesmo em indivíduos saudáveis, a suplementação com CoQ10 reduz os sintomas de fadiga física.

A CoQ10 também é estudada para outras doenças como Insuficiência cardíaca, pressão alta, doença de Alzheimer, Esclerose lateral amiotrófica e fibromialgia. Outros suplementos auxiliares na disfunção mitocondrial são ácido alfa-lipóico,D-ribose e vitamina B-3 além de alimentação saudável com redução calórica e atividade física.









Autor: Dra. Guilia Chini - Nutrologia e Medicina Funcional - CRM/MG 62.760
Fonte:
tags: fadiga, crônica, cansaço.
hair wigs remy hair extensions cheap hair extensions human hair wigs