DISPLASIA NO QUADRIL - DIAGNÓSTICOS, CAUSAS E TRATAMENTO

Saúde

A Displasia Congênita do Quadril é uma alteração no desenvolvimento das estruturas ósseas do quadril do bebê, acarretando a perda de contato da cabeça do fêmur com o acetábulo. Pode ser identificada com manobras específicas pelo pediatra, antes ou após o nascimento do bebê.


Diagnóstico

Através dos exames no berçário da maternidade é notado o “click” ao examinar o quadril do bebê. Além do barulho característico é possível observar certo ressalto ao movimentar o quadril e que são fortes indicativos da displasia.

Após suspeita é necessário prosseguir a investigação detalhada até fechamento do diagnóstico, onde um ortopedista especializado que deverá avaliar o quadro. O diagnóstico só pode ser feito após a realização do exame de imagem, mais especificamente o ultrassom. Através da ultrassonografia é possível não só confirmar a displasia no quadril como avaliar o grau e a gravidade do problema. A displasia é separada por dois tipos, leve ou grande.


Causas

-Fatores genéticos;

-Fragilidade anormal dos ligamentos e da cápsula articular;

-Respostas do bebê aos hormônios da mãe durante a gestação;

-Útero apertado que impede o movimento fetal;

-Bebês com apresentação pélvica (posição sentada na vida intrauterina).


Tratamento

-O pediatra e o ortopedista realizam exames de imagem periodicamente para verificar a melhora e a evolução do quadro;

-Uso de aparelhos de correção podem ser prescritos pelo ortopedista;

-Uso de órteses;

-Tratamento fisioterápico;

- Cirurgia.



IMPORTANTE: Quando descoberta em fase neonatal o tratamento tem resposta muito mais rápida do que em qualquer fase da vida. O diagnóstico precoce encurtará o período de tratamento e oferecerá resultados mais concretos.

Autor: Dr. Ermelindo Matinatti CRM-MG 29.641 Ortopedia - Traumatologia e Medicina Esportiva
Fonte:
tags: displasia, saúde, diagnósticos.
hair wigs remy hair extensions cheap hair extensions human hair wigs