JULHO VERDE - “Quem ama inclui” CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO

Especial

O mês de julho foi marcado pelo “Julho Verde”, uma campanha que tem como objetivo promover a conscientização e divulgação em relação a prevenção ao câncer de cabeça e pescoço.

Iniciativa da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP) e a Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG Brasil) a campanha #JulhoVerde de 2018 teve como tema “Quem ama inclui” – #EntreNessa – devido às sequelas psicológicas e funcionais irreversíveis, que prejudicam a qualidade de vida do paciente e a reinserção na sociedade.

Os cirurgiões Dr. Deyves Freitas e Dr. Ernesto Dendena nos relataram que, no Centro de Oncologia da Santa Casa, são atendidos cerca de 20 novos casos/mês, além dos pacientes em tratamento. Eles nos falaram sobre o assunto e alertam para o crescimento de novos casos e a importância da prevenção e diagnóstico precoce.


Dados alarmantes

O Brasil registra a cada ano cerca de 40 mil novos casos desses tumores malignos. O câncer de cabeça e pescoço é o 3° mais comum quando incluímos todos os subsitios, isso não considerando o câncer de pele, onde 80% destas lesões estão localizadas na face e no pescoço, portanto, também são tumores de cabeça e pescoço. Visto isso, se incluirmos o câncer de pele na estatística , o câncer de cabeça e pescoço se torna o mais comum em incidência na população. 

Raramente o cirurgião de cabeça e pescoço é procurado para o primeiro atendimento apesar de ter toda a formação Oncológica para tratar de forma integral a pacientes em estados iniciais e avançados, incluído metástase cervical e invasão de órbita do câncer de pele.

Quando falamos em câncer de boca , este é o 4° tumor maligno mais comum nos homens. Ocorrendo 7 vezes mais do que em mulheres.


Causas

O tabagismo está relacionado a 97% dos diagnósticos de câncer de laringe. O álcool associado ao fumo aumenta o risco em 100 vezes para câncer nessa região.

A infecção pelo HPV (papilomavírus humano) tem contribuído com o aumento na incidência da doença em jovens nos últimos anos em virtude da falta de uso de preservativos na prática do sexo oral.


Diagnóstico

Em 60% dos casos, a doença já está mais avançada quando é descoberta. As chances de cura são maiores se for detectada no início. Com o autoexame, por exemplo, é possível e identificar se existem feridas na boca que não cicatrizam há mais de duas semanas ou inchaços no pescoço.

O diagnóstico precoce, além de aumentar as chances de cura, também pode evitar sequelas ao paciente.


Prevenção

Além da realização de exames de rotina e acompanhamento médico, é importante estar atento aos hábitos de vida. Hábitos como ter uma boa higiene bucal, adotar uma dieta rica em betacaroteno, não fumar, evitar o consumo de bebidas alcoólicas e usar preservativo durante a relação sexual, podem diminuir as chances do desenvolvimento destes tipos de tumor.



CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO

Incorporação de outras especialidades na rotina do tratamento desses tumores tem melhorado os resultados e a qualidade de vida dos pacientes.

Uma boa notícia no mês de julho, coincidentemente o #JulhoVerde, foi que, a partir de agora, os pacientes submetidos ao tratamento de câncer de cabeça e pescoço no Centro de Oncologia da Santa Casa de Alfenas, contam com dois serviços a mais: o de instalação de próteses maxilo--faciais e tratamento de laserterapia graças a uma nova parceria firmada entre a Santa Casa de Alfenas e professores da UNIFAL-MG, especialistas que atenderão pacientes mutilados por câncer de cabeça, pescoço e pele, gratuitamente.

Mais uma vez, os cirurgiões de cabeça e pescoço Dr.Deyves José de Freitas e Dr. Ernesto Dandena nos falam e explicam que o câncer de face promove mutilação e nem sempre a cirurgia plástica é sufi ciente para curar ou restaurar. É preciso um tratamento multidisciplinar para que esse paciente tenha de volta sua autoestima e qualidade de vida. Com essas parcerias, o que muda para os pacientes do Centro é que, eles podem dar continuidade ao tratamento vinculados, e não com encaminhamentos externos como era feito antes, o que sempre acarretava em interrupção de tratamento por fatores variados.


Prótese Bucomaxilofacial

Com a Profª Marcela Filie Haddad

Prótese Bucomaxilofacial (PMF) é uma especialidade da Odontologia que reabilita proteticamente, pacientes com perda de sustância na região de cabeça e pescoço. Os pacientes que perdem partes da face tendem a se esconder, ficando marginalizados devido à mutilação facial. Aqueles que perderam partes da boca têm dificuldades de fala, deglutição e mastigação. Este projeto tem como objetivo reabilitar pacientes com perdas faciais e/ou bucais aumentando sua autoestima, reintegrando-os à sociedade a fim de devolver-lhes qualidade de vida.

A professora de Prótese Dentária da UNIFAL-MG- Dra.

Marcela Filie Haddad é a responsável pela equipe que confecciona as próteses com material sintético, unindo técnica, arte e beleza, para recuperar órgãos perdidos e devolver a autoestima aos pacientes. Trata-se da confecção de próteses oculares, auriculares, nasais, oculopalpebrais, obturadoras palatinas e de língua. 


Laserterapia

Com a Dra. Lívia Maris Ribeiro Paranaíba Pacientes com câncer de cabeça e pescoço, submetidos ao tratamento de radioterapia, agora contam com uma nova técnica para tratar sequelas como úlceras (feridas) chamadas de mucosite e alterações na produção de saliva (xerostomia).

A laserterapia para xerostomia faz parte dessa parceria entre a Santa Casa e a especialista Dra. Lívia Maris Ribeiro Paranaíba, professora da Unifal-MG, benefi ciando e tratando todos os pacientes que apresentam mucosite oral como efeito colateral do tratamento antineoplásico.

Dra. Lívia é expert no assunto e já esteve na Faculdade de Odontologia da Universidad de Valparaiso no Chile, onde falou em palestra sobre o tema “Assistência aos pacientes com mucosite oral radioquimioinduzida no serviço de Oncologia da Santa Casa de Alfenas”. 


Autor: Santa Casa de Alfenas
Fonte:
tags: câncer, julho, verde.
hair wigs remy hair extensions cheap hair extensions human hair wigs