Sobre duas rodas

Viajar de moto sempre exige planejamento para desfrutar do veículo, do roteiro e também do destino sem surpresas desagradáveis. Confira as dicas para que a tão sonhada viagem não se transforme em uma grande roubada.


São dicas simples mas que fazem toda a diferença, afinal, o que se espera de uma viagem assim é prazer e não dor de cabeça.

DESTINO E DISTÂNCIA

Antes de escolher o destino, convém avaliar o período disponível, distância e condições das estradas. Se o tempo de folga é curto, procure não comprometer muitos dias no deslocamento. Outra preocupação deve ser com a volta, pois geralmente o retorno se torna mais cansativo e tende a demorar mais. Por falar em distância, a autonomia da moto é fator primordial para uma viagem tranquila. O ideal é que a moto possa percorrer pelo menos 200 quilômetros sem abastecimento. Se a estrada for esburacada ou passar por locais ermos e perigosos evite viajar à noite.

MOTO COMPATÍVEL

Sempre é bom ponderar se a sua moto é apropriada para o destino escolhido. Cidades históricas como Paraty (RJ) ou Tiradentes (MG), por exemplo, apresentam calçamento de pedras, que podem ser um tormento para donos de motos esportivas, com suas suspensões firmes e de cursos reduzidos. Já os amantes da natureza, que gostam de visitar cachoeiras ou fazendas, devem levar em consideração o risco de chuvas que podem transformar aquela singela estrada de terra em um intransponível lamaçal. Entre todas as motos, os modelos trail são os mais versáteis para encarar qualquer desafio.

CLIMA

Depois de definir o destino, uma boa dica é pesquisar as condições climáticas durante o período de sua viagem. É desagradável viajar com chuva, mas ainda pior é chegar ao destino e descobrir que ela não vai parar. Mesmo sem previsão de tempestades, a capa deve ser uma companheira inseparável e de fácil acesso, pois as pancadas de chuva durante a tarde são repentinas e comuns no verão.

GASTOS E DOCUMENTAÇÃO

Se a viagem for longa, vale calcular o gasto diário. Para isso, basta dividir o valor disponível pela duração da viagem. É importante deixar uma reserva para gastos eventuais com a moto como troca de relação, pneu ou mesmo troca de óleo. Vale sempre lembrar que a documentação da moto e também do piloto são fundamentais. Pode parecer óbvio, mas tem gente que só descobre que a CNH está vencida quando o policial avisa que a moto será retida.

Autor: GMI
Fonte: GMI
tags: autos, motos, destino