Dicas de segurança

Antes de sair para navegar, tenha certeza de que todos os procedimentos e cuidados foram tomadas. A sua segurança e a dos passageiros a bordo são prioridades e com água não se brinca.


  1. Ao sair de barco, informe à marina o seu destino e o provável horário de retorno. Assim, em caso de atrasos ou possíveis problemas, eles ficarão alertas e ajudarão no resgate.
  2. Todo barco é obrigado a ter a bordo os equipamentos de segurança listados pela Marinha, em quantidade corresponde ao seu porte e categoria de navegação, como estes: manual do proprietário; luzes de navegação; bóia e coletes salva-vidas; caixa de primeiros socorros; bússola; âncora com, no mínimo, 20 metros de cabo ou corrente; bomba de porão; lanterna; extintor de incêndio; apito; e quadros do Regulamento Internacional Para Evitar Abalroamentos no Mar—RIPEAM (que trazem as regras de governo e navegação, balizamento e tabela de sinais de salvamento); e cartas náuticas da região onde o barco estiver navegando.
  3. Nunca, jamais, pilote ou deixe alguém pilotar sua lancha sem ter habilitação para isso. Barcos são bens preciosos, e a vida de quem está a bordo ou nos outros barcos, mais ainda.
  4. A bordo de qualquer barco, é obrigatório ter, pelo menos, um colete salva-vidas para cada passageiro. Ninguém precisa vesti-los, mas eles devem ficar guardados em lugar de fácil acesso. E todos os passageiros devem saber onde encontrá-los.
  5. Jamais exceda a capacidade de passageiros do seu barco. Mais vale deixar um amigo fora do passeio do que colocar a vida dele (e a de todos a bordo) em risco. Se não souber ao certo quantas pessoas o seu barco está capacitado a levar, adote o critério de uma pessoa para cada metro de comprimento do casco.
  6. Quem tem crianças pequenas ou animais de estimação a bordo deve considerar colocar uma rede de proteção no guarda- -mancebo do barco. Ela impede que seres pequenos escorreguem e passem involuntariamente por baixo dele. Além disso, o uso constante do colete salva vidas em crianças é indiscutível.
  7. Respeite os limites de navegação do seu barco. Uma pequena lancha para passeios em águas abrigadas nunca deve se aventurar em mar aberto.
  8. Proíba as pessoas de ficarem no solário ou na borda do barco durante a navegação. Uma marola ou aceleração mais forte pode fazê-los cair na água.
  9. Se alguém cair acidentalmente na água, não o perca de vista ou mande alguém ficar olhando só para ele e indicando o caminho a seguir. Isso ajudará muito no resgate, porque, na água (especialmente nas mais agitadas) nem sempre é fácil localizar alguém.
  10. Apesar do calor e do prazer, deixe as bebidas alcoólicas fora de qualquer passeio de barco. Elas não fazem bem nem ao piloto nem aos passageiros.
  11. Quem sai para navegar deve ter sempre uma forma de se comunicar com a terra firme, para o caso de alguma emergência. Leve, pelo menos, o celular.
  12. Ajudar quem está em perigo na água é uma atitude obrigatória. Mas rebocar um barco, não. Se for preciso, fique por perto, até o socorro chegar, mas não se meta a fazer o que não sabe, porque o resultado pode ser ainda pior.
  13. Regras de segurança a bordo devem ser inegociáveis. Assim, exerça seu poder de “comandante da embarcação” e seja claro e direto nas ordens, especialmente com as crianças, que não têm exata noção dos riscos de uma navegação.
  14. Tenha sempre um apito a bordo, caso a buzina do barco pare de funcionar. Pode parecer primitivo demais, mas apitar ajuda e muito na hora de chamar a atenção na água.

OS 10 ERROS MAIS COMUNS DE QUEM COMEÇA (OU JÁ SABE) NAVEGAR

  1. Não se informar sobre o tempo ao sair. Quem faz isso corre riscos à toa.
  2. Sair com pouco combustível. Sem ele, o passeio pode acabar em drama.
  3. Deixar o combustível envelhecer no tanque. Isso pode até estragar o motor.
  4. Não consultar cartas náuticas. Quem acha que sabe tudo nada sabe.
  5. Beber e, depois, pilotar. Não é só no trânsito que o álcool causa acidentes.
  6. Ir além do barco que tem. Respeitar limites é um ato de sabedoria.
  7. Levar gente demais a bordo. O peso deixa qualquer barco vulnerável.
  8. Não revisar os motores. Sai mais barato que conserto e é bem mais seguro.
  9. Ignorar os equipamentos de salvatagem.
  10. Não basta ter. É preciso saber usar. Não se proteger contra o sol. Quem anda de barco vive exposto. E não sente.
Autor: GMI
Fonte: GMI
tags: dicas, segurança, náutica
hair wigs remy hair extensions cheap hair extensions human hair wigs